domingo, 30 de maio de 2010

TABAGISMO - UM HOLOCAUSTO ANUAL PELO EQUÍVOCO DA HUMANIDADE

A ESPÉCIE HUMANA EQUIVOCOU-SE AO NÃO PERCEBER OS RISCOS DE FUMAR

Às vésperas do Dia Mundial Sem Fumo de 2010, cabe a reflexão sobre este extraordinário equívoco que foi a introdução do tabagismo na comunidade europeia, a partir de uma prática indígena ritualística das Américas, isto ainda em meados do século XVI, tornando-se pouco depois uma prática global.
A ação manipuladora da indústria do fumo teve efeito desastroso sobre a já precária capacidade de discernimento de nossa espécie. A cada publicação científica de alerta, ainda na primeira metade do século XX, um engodo nos era impingido. Foi assim com os filtros, foi assim com a produção de cigarros de 'baixos teores' de nicotina e alcatrão, etc.
A nova onda industrial, que pode pode reverter os números recentes de queda no consumo de cigarros, e até por isto, é a busca do mercado feminino, onde por razões culturais a adesão feminina ainda não tenha ocorrido _ 'apenas' 9% das mulheres fumam, enquanto que 40% dos homens o fazem. Caso isto aconteça efetivamente, países como China e Índia vivenciarão nas próximas décadas a consumação de um verdadeiro genocídio.
O Dia Mundial Sem Fumo de 2010, promovido pela Organização Mundial da Saúde, tem este matiz: Protejamos as Mulheres da Fumaça e do Marketing do Tabaco (Protect women from tobacco marketing and smoke).
----------------------------------------------
video
Entrevista concedida à Lísia Palombini para o Conexão Futura

Canal Furura - 28/maio/2010

domingo, 23 de maio de 2010

A INDÚSTRIA DO CINEMA E A DO TABACO - UMA ASSOCIAÇÃO COM RISCOS PARA A SAÚDE PÚBLICA

Recursos oriundos de uma indústria contribuem para a produção de outra. Quem regula esta parceria?

A cena exposta abaixo revela um risco imenso para a saúde pública, onde o roteiro de um filme refere como uma recompensa, por um ato heróico, a obtenção de cigarros.

É complicadíssimo, para os agentes da saúde pública e os ativistas planetários do movimento antifumo, fazer frente às mensagens pró-fumo, dirigidas ao subconsciente de milhões de pessoas, tão extraordinariamente bem arquitetadas pelos roteiristas e produtores das produções hollywoodianas.

Não obstante morrerem quase 6 milhões de pessoas por ano no mundo por doenças relacionadas ao tabaco, a pequena mobilização social em torno do tema ainda não exerce pressão adequada sobre os que decidem.

video

Mensagem pró-fumo difícl de combater

A Universidade de São Franscisco, nos EUA, é a que mais alertas produz para os riscos da associação tabaco-cinema. Seus técnicos criaram um projeto Smoke Free Movies (Filmes Sem Fumo), motivados por diversos de seus estudos que comprovavam que o cinema ainda é o que mais tem poder de influenciar os jovens para a adesão à nicotina.

OMS - Tobacco Free Film - 2003

Em 2003, após reiteradas solicitações daquela Universidade, a Organização Mundial da Saúde utilizou-se desta preocupação para lançar o mote da campanha da Dia Mundial Sem Fumo daquele ano: 'Filmes sem tabaco e Moda sem tabaco'.

domingo, 2 de maio de 2010

CALENDÁRIO ANTIFUMO DE 2010

Click to play this Smilebox calendar: Calendar 2010

DIA MUNDIAL SEM FUMO 2010 - UM ALERTA PARA AS MULHERES

Chique? Não, câncer de garganta



O dia 31 de maio, consagrado ao movimento planetário de conscientização sobre os males do tabaco, foca nos riscos do tabagismo para as fêmeas da espécie humana em 2010

Desde a década de 80 do século XX, dada a magnitude do problema do tabagismo no planeta, os técnicos da Organização Mundial da Saúde intuiram a necessidade de uma data para que globalmente pudéssemos trabalhar o tema.

Crescendo livre de Tabaco - tema de 1990 e 1998

A partir de 1990, ano em que a OMS lançou o tema 'Crescendo Sem Tabaco', dedicando a campanha daquela data à infância e à juventude, ano após ano, no dia 31 de maio é enfatizado um aspecto do problema.

No Dia Mundial Sem Tabaco de 2010, o alerta é para a ação da indústria do fumo que está mirando o seu arsenal para a captação das mulheres, jovens ou não, para assim ampliar o seu estoque de consumidores. Até porque, a cada ano ela perde 5.600.000 fumantes por morte (relacionada ao tabaco), somadas a um número até 20 vezes maior, representados pelos que adoecem gravemente e não conseguem mais fumar.

É sabido que o tabagismo é ainda mais cruel com as mulheres do que com os homens. De certa forma, o dito popular de que a mulher seria o sexo frágil, jamais comprovado exceto em força física, no que tange à sensibilidade ao tabagismo esta assertiva pode ser considerada verdadeira.

Existe um imenso mercado feminino a ser conquistado, na visão dos industriais do fumo. Por exemplo, na China, país mais populoso do mundo, enquanto em torno de 80% dos homens são fumantes (estima-se que 1/3 deles morrerá precocemente até 2030, por doença relacionada ao tabaco), apenas 5% das mulheres de hoje são dependentes de nicotina. O marketing da indústria esforça-se, desde o início deste século XXI, para revolucionar este quadro e romper a barreira cultural que impede a legião feminina de também ser escravizada. Assim como na China, há imensos outros mercados a serem manipulados.

Portanto, a Organização Mundial da Saúde traz em 2010 este alerta específico de gênero: há um marketing perigosíssimo direcionado às mulheres do planeta. A nós, a atenção plena.
Protejam as mulheres do marketing do tabaco e da fumaça
World No Tobacco Day 2010

Glamour? Não, câncer de boca

Sex appeal? Não, fumo passivo.

Estilo? Não, gangrena

video

Tabagismo na China